Desenvolvimento emocional: Brincar é fundamental

Desenvolvimento emocional: Brincar é fundamental.

Cristiane Back – Psicóloga

O brincar assim como o desenvolvimento emocional infantil começa desde o nascimento da criança. Atualmente a diversidade de recursos e concepções no ato de brincar é amplamente discutida, não apenas pela área da educação, mas pela filosofia, psicologia e historiadores.

A importância do brincar passa a ser vista por diversos estudiosos nos séculos passados e tem nos possibilitado ampliar a qualidade de vida das crianças. Quando falamos sobre o ato de brincar, os estímulos e habilidades que a brincadeira proporciona permite à criança vivenciar o lúdico e descobrir-se a si mesma, apreender a realidade, tornando-se capaz de desenvolver seu potencial criativo.

É pelo brincar que a criança interage com o mundo ao seu redor, interage com seu pensamento e aprende a construir e promover suas relações sociais. A partir de 1998 com a reforma no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, o brincar foi implantado como parte fundamental para o desenvolvimento humano. Assim, a brincadeira é cada vez mais entendida como atividade que, além de promover o desenvolvimento global das crianças, incentiva a interação entre os pares, a resolução construtiva de conflitos, a formação de um cidadão crítico e reflexivo.

Porém, diante dos avanços tecnológicos, é importante levar em consideração a utilização de ferramentas cada vez mais avançadas e capacitadas aos estímulos para entretenimento a partir de celulares e tablets. Vale refletir sobre a tecnologia como um avanço, mas também vale questionar se estamos diante de uma nova perspectiva do brincar. Como usar esses novos recursos para estimular e desenvolver nossas habilidades criativas, sem prejudicar o desenvolvimento emocional das crianças?

Aliar a tecnologia ao brincar é uma forma de estimular a criança e também permitir que haja interação com os recursos propostos pelo mundo virtual, por exemplo. Estimular jogos de tabuleiro (Xadrez, Imagem e Ação, Banco Imobiliário, entre outros) facilitam estímulos de raciocínio e também proporcionam interação com a família e amigos. Desenvolver espaços onde a tecnologia possa estar na rotina das crianças é possível, sem que haja excesso. Estabeleça um tempo para jogos em tablets e celulares, porém lembrando que é a imaginação e o processo de criar que auxilia no processo do desenvolvimento psíquico infantil. Brincar sozinho é diferente de jogar sozinho.

Portanto, estimular o brincar é fundamental para o desenvolvimento emocional, cognitivo e social das crianças. Proporcionar o uso de celulares e tablets é uma das ferramentas, mas não pode ser utilizada como único recurso para estímulo.

Quando uma criança brinca, joga e finge, está criando um outro mundo. Mais rico, mais belo e muito mais repleto de possibilidades e invenções do que o mundo onde de fato vive.

Marilena Chauí

 

Referências:

 

CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2000.

QUEIROZ, Norma Lucia Neris de e cols. BRINCADEIRA E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: UM OLHAR SOCIOCULTURAL CONSTRUTIVISTA – https://www.scielo.br/j/paideia/a/yWnWXkHcwfjcngKVp6rLnwQ/?lang=pt&format=pdf , Universidade de Brasilia, 2006.