Por que ler os clássicos?

“Um clássico é um livro que sempre presta ao espírito do homem um serviço de mais alta qualidade.”

(Pedro Salinas)

 

 “Clássicos são livros que conseguem ser eternos e sempre novos.”

(Ana Maria Machado)

 

 

O livro clássico não está ultrapassado, fora de moda, pelo contrário, sempre será eterno pelo seu conteúdo intelectual, social e humano. Se o leitor conhecer um bom número de livros clássicos, desde pequeno, terá mais facilidade de encontrar-se com obras brasileiras ou estrangeiras originais, e compreendê-las, pois, toda a literatura se faz em cima de diálogos com obras anteriores.

Os clássicos representam um tesouro riquíssimo herdado pela humanidade e ao qual todos têm direito. Eles podem nos propiciar o prazer de viver grandes aventuras, peripécias, viagens, outras vidas, viver outros tempos e espaços, conhecer outros povos, etc. Ler os clássicos é uma forma de criar uma grande rede mundial, onde cada leitor conecta-se através da imaginação e anda pelos caminhos que as histórias desses livros permitem traçar.

Quando não se sabe ao certo do que se é capaz, é necessário deparar-se com horizontes distantes e ideias desafiadoras, viver aventuras para testar limites. E isso, uma obra clássica pode propiciar, além de trazer conhecimento, saber, informação e consequentemente poder.

A leitura dos clássicos descortina novos conhecimentos e desenvolve capacidades como: formação de pensamento, raciocínio e argumentação. Contribui para a realização de conclusões e ajuda a se expressar melhor, pois ler é realizar um verdadeiro processo de arquitetura mental das ideias. Quem lê, aumenta o vocabulário, familiariza-se com regras gramaticais aplicadas e aprende a utilizá-las.

Por fim, os clássicos são livros lidos por muitas gerações. Assim, pais e filhos poderão interagir, dialogar sobre a obra, trocar ideias, percorrer os mesmos mundos em tempos diferentes.